RECURSOS MATERIAIS, FINANCEIROS E HUMANOS NECESSÁRIOS AO INÍCIO DAS ACTIVIDADES DA UNIVERSIDADE LUSÍADA DE CABO VERDE

Para que seja possível alcançar os objectivos anteriormente enunciados para a Universidade Lusíada de Cabo Verde torna-se necessário mobilizar recursos. Uns de natureza material, designadamente de infra-estruturas e equipamentos; outros de índole financeira, absolutamente indispensáveis para a fixação de um "fundo de maneio" inicial, necessário, tanto para o arranque do Projecto como para fazer face aos investimentos que será indispensável mobilizar, seja através da Fundação, seja por recurso ao respectivo mercado. E ainda, os Recursos Humanos, eventualmente os mais importantes, podendo distinguir-se os seguintes:

a) Os Fundadores;
b) Os Gestores do Projecto, tanto na área académica como na área administrativa e financeira;
c) O Corpo Docente;
d) O Pessoal Técnico e Administrativo;
e) O Pessoal Auxiliar.

Quanto às duas primeiras categorias, os Fundadores estão responsabilizados pela orientação estratégica. Relativamente às restantes categorias, é desejável que o seu recrutamento seja efectuado a nível local ou regional, tendo papel supletivo a Fundação, mas que, no entanto, assegurará o suprimento de eventuais carências, bem como a qualidade científica do Projecto da Universidade Lusíada da Cabo Verde.

A Universidade, pode ser inicialmente implantada nas instalações da Escola Secundária Ramiro Alves Figueira, da ilha do Sal. Com efeito, o desenvolvimento do Projecto realizar-se-á por fases, sendo previsíveis as seguintes:

.: Primeira fase: área da Escola Secundária Ramiro Alves Figueira; 800 alunos; até 3 a 5 anos de funcionamento.
.: Segunda fase: área de construção, 5.000m2; 1000 alunos; 5 a 10 anos de funcionamento.
.: Terceira fase: área de construção, mais de 10.000m2; mais de 2.500 alunos; mais de 10 anos de funcionamento.

A área a construir respeitará não só salas de aula e auditórios, como também a laboratórios de investigação e de prestação de serviços, como aos restantes equipamentos necessários ao bom funcionamento de uma Universidade de Excelência, tais como: bibliotecas, estúdios multimédia (cinema, televisão, fotografia, etc.), equipamentos de lazer e recreio (campos desportivos, piscina, ginásios, etc.) e de acolhimento de visitantes e de estacionamento de viaturas. Deverá também encarar-se a instalação de actividades próprias dos modernos campus universitários, tais como: centros tecnológicos, clube de saúde, rede Wireless Hi-Fi, lojas de imagem e outros equipamentos destinados a satisfazer as necessidades de professores e alunos.